Prêmio Empreendedor Social 2016 destaca jovens em três categorias

Paulo Ranieri

Por Fernanda Baddini (01/12/2016)

A administradora Nina Valentini, de 29 anos, foi eleita, entre os candidatos de até 35 anos, a Empreendedora Social de Futuro mais inovadora do Brasil, na quinta edição do prêmio Empreendedor Social, sediado pela Folha de São Paulo, no dia sete de novembro. O evento, que foi apresentado por Maria Fernanda Cândido e Dan Stulbach, contou com a presença de 400 convidados que lotaram o teatro Porto Seguro, em São Paulo. A premiação também contou com a apresentação da cantora Laila Garin, do Coletivo Chega de Saudade e do Coral da Gente, grupo composto por 40 adolescentes que levaram ritmos brasileiros ao palco.

O evento elegeu um ganhador para cada uma das seguintes categorias: Empreendedor Social de Futuro, Empreendedor Social 2016 e Escolha do Leitor. O troféu foi entregue pela atuação do Instituto Arredondar, que incentiva e promove a micro doação no país. Através de uma ferramenta de arredondamento de centavos nas compras de milhares de clientes, os valores coletados são enviados a organizações sem fins lucrativos, ajudando centenas de pessoas. A iniciativa conta com a parceria de empresas como Grupo Pão de Açúcar, Spoleto, Puket, Cori, entre outras.

O Arredondar concorreu com outros dois projetos que foram selecionados entre 145 candidatos inscritos. Em seu discurso, Nina disse que em dois meses atingiram a marca de dois milhões de microdoações e, em três meses, três milhões. “Já são 10 mil pessoas por dia arredondando suas compras para causas urgentes e relevantes”, falou a empreendedora que ajuda, atualmente, 15 ONGs através da instituição.

Empreendedor Social

O prêmio da categoria Empreendedor Social 2016 foi entregue a Carlos Pereira, fundador da Livox, aplicativo que permite a comunicação de pessoas com deficiência cognitiva, motora e visual. O criador do software concorreu com Cláudio Spínola, fundador do Morada da Floresta, rede de compostagem de lixo, e Tatsuo Suzuki, proprietário da Magnamed, empresa que produz equipamentos hospitalares a baixo custo.

A motivação para o desenvolvimento do programa da Livox foi a filha de Carlos, portadora de deficiência motora. Vários algoritmos inteligentes fazem o software se ajustar de acordo com as dificuldades do usuário, de forma que identifica os toques imperfeitos e os corrige. Ele foi desenvolvido há 6 anos, em aproximadamente três meses. Ao longo dos anos, ele foi aperfeiçoado e recentemente recebeu investimentos do Google. O aplicativo está disponível em 25 idiomas e presente em países como Arábia Saudita, Coréia do Sul, Japão e EUA. “Nós estamos levando a voz para milhões de pessoas que não se comunicam”, declarou Pereira, ganhador do prêmio.

Escolha do Leitor

Os sócios e fundadores da Retalhar, Lucas Corvacho, 28, e Jonas Lessa, 25, foram os vencedores da Escolha do Leitor. A empresa é um negócio social que faz a logística reversa de uniformes profissionais e ainda oferece aos clientes a possibilidade de transformar o uniforme em cobertor popular ou produzir brindes, que serão sempre uma ferramenta de conscientização socioambiental. “Somos centenas de iniciativas que lutam por um modelo mais justo de desenvolvimento na cadeia têxtil”, declararam os amigos em discurso.

Os vencedores do prêmio passaram a integrar a Rede Folha de Empreendedores Socioambientais. Com isso, receberão como benefícios cursos e capacitações, além de serem avaliados para entrar na Rede Schwab de Empreendedores Sociais.

Deixe Seu Comentário

*Preenchimento obrigatório.