Antonín Kratochvíl é ganhador de diversos prêmios pelo seu trabalho

Conheça o trabalho de um do repórter fotográfico Antonín Kratochvíl da República Checa, ganhador de vários Prêmios importantes da fotojornalismo mundial, no foto-áudio reportagem realizado por Alana Ferrer e Marcelo Nogueira, estudantes do 2º semestre do Curso de Jornalismo da ESPM-SP, sob orientação do Prof. Erivam de Oliveira.
Antonín Kratochvíl nasceu em 12 de abril de 1947 na cidade de Lovosice, na República Checa. Era o mais novo de três filhos de um fotógrafo local. Em 13 de setembro de 1967, incapaz de suportar a perseguição em sua terra natal, escapou sob o arame farpado da fronteira de seu país com a Áustria. Um período de quatro anos de campos de refugiados, países estrangeiros hostis e a separação de familiares e amigos se seguiram. Em 1972, Kratochvíl mudou-se para a Costa Ocidental dos Estados Unidos, onde começou a trabalhar como fotógrafo editorial e fotojornalista.
Antonín pratica a fotografia humanista e já capturou inúmeras fotos de conflitos sociais e de guerras ao redor do mundo, documentando pessoas em situações extremas e condições de crise. A situação desumana das crianças em partes economicamente fracas do globo é um tema abordado com frequência. Seu colega fotográfico e jornalista, Michael Persson, observa que Kratochvíl escolheu documentar aqueles que estão sozinhos, esquecidos e punidos, da mesma maneira que ele mesmo foi tratado.
O fotógrafo apresenta também sessões de retratos com famosos, como David Bowie. E cobriu, ainda, a Guerra do Iraque para a revista norte-americana Fortune, e participou de uma campanha publicitária estrelando a cantora Deborah Harry para a União Americana de Liberdades Civis. Ele é também um dos fundadores da VII Photo Agency, agência fotográfica fundada em 2001 por um grupo com os 7 melhores fotojornalistas da época, com sede em Nova York. Seu trabalho já apareceu em veículos como The New York Times Magazine, Newsweek, Time, e Natural History.
Antonín tem 5 livros publicados, entre eles Broken Dream: 20 years of War in Eastern Europe, que reúne imagens na região da Europa Oriental, em países como Albânia, Hungria, Polônia, Romênia, e União Soviética, durante a Guerra Fria num período de 20 anos. E Vanishing, uma coleção de 16 ensaios fotográficos de 16 anos sobre meio ambiente degradado, catástrofes humanas e destruição, resultando no desaparecimento de culturas. O livro inclui imagens de Beirute, Bolívia, Congo, Louisiana, Zimbabwe, Equador, Praga, Chernobyl, Angola, Iraque e Nova York, e conta com a participação de Michael Persson. O fotógrafo trabalhou, ainda, como ator em dois filmes, Kawasaki’s Rose de 2009, e Leaving de 2011.
Kratochvíl recebeu diversos prêmios pelo seu trabalho. Em 1991, recebeu o prêmio Infinity Award, como melhor fotojornalista do ano. Em 1997, recebeu a Medalha de Ouro de Fotografia da Society of Publication Designers. No mesmo ano, recebeu o Primeiro Prêmio da World Press Photo. Em 2003, repete o feito ganhando dois prêmios da World Press Photo. Em 2005, recebeu o Golden Light Award por Melhor Livro Documentário com seu livro Vanishing. Antonin recebeu, ainda, uma medalha do prefeito da cidade de Praga pelo seu trabalho fotográfico, além de ter conquistado outros diversos prêmios ao longo de sua carreira.

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário