Fernando Bizerra – testemunha ocular da política brasileira

Especiais

Erivam Oliveira

Conheça no Memória do Fotojornalismo Brasileiro o trabalho de Fernando Bizerra, que acompanha diariamente os meandros da política brasileira no foto-áudio reportagem realizado pelos estudantes Íris Brito e isabella Medeiros do 2º semestre do Curso de Jornalismo da ESPM-SP sob orientação do Prof. Erivam de Oliveira.
Fernando Bizerra é um fotojornalista de Brasília que se destacou, principalmente por suas coberturas de momentos históricos para o Brasil. Nasceu dia 29 de Junho de 1950 na cidade de Valparaiso, São Paulo, e atualmente vive em Brasília.
Carregado pelos costumes da época, o filho caçula sempre acompanhava o pai no trabalho que se iniciava muito cedo. Aos 8 anos de idade, secava fotos 3x4 debaixo do tripé da máquina lambe-lambe de seu pai, Manoel Bizerra da Silva, nas ruas do Núcleo Bandeirante. Os primeiros anos foram sucessões de boas relações construídas no mundo da fotografia.
Bizerra adquiriu ótima bagagem técnica e prática na área de fotografia, por ter trabalhado na loja de seu pai. Quando se casou, se tornou gerente do laboratório de cinejornalismo da TV Globo e, paralelamente, começou a trabalhar na assessoria de comunicação do Ministério das Comunicações.
Cobriu fatos históricos do Brasil no período da ditadura militar, redemocratização do País, o Processo Constituinte de 1987, impeachment de Fernando Collor, eleição do Presidente Lula e vários outros casos importantes para vida politica do Brasil. Tornou muito conhecido por sua ousadia, profissionalismo e companheirismo na cobertura de seus trabalhos.
Fez parceria com grandes jornalistas e inovou ao sugerir aos jornais chamados “segunda linha” em todas as cidades do Brasil uma alternativa editorial do noticiário nacional, com a distribuição de imagens dos parlamentares dos estados ou regiões. Dessa maneira possibilitou aos pequenos jornais a competir diretamente com os consagrados como Estadão, Globo, Jornal do Brasil e Folha S. Paulo.
Fernando Bizerra busca sempre a objetividade ao mostrar o muito com pouca quantidade de cliques. Numa partida de futebol, ia sempre trabalhar em cima dos elementos principais de destaques nos jogos. Buscava sempre trabalhar com uma gama de informações prévias sobre fatos, pessoas e detalhes de cada cobertura. Num jogo dos Santos contra o Ceub em Brasília, fotografou com três câmeras e conseguiu registrar dois gols do ataque santista. Numa cobertura diária no dia a dia do congresso nacional, mudava sempre o foco da cobertura saindo dos figurões da grande imprensa para as figuras das bancadas regionais e não as nacionais. Com isso durante mais de 20 anos, conseguiu montar uma carteira de clientes e jornais em todos os estados. Fernando conta, também, sobre como cobriu o impeachment de Collor em 1992.
Atualmente Fernando Bizerra é (Presidente da Arfoc-DF - Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de Brasília), onde lutou juntamente com diversos fotojornalistas do Distrito Federal pela valorização e crescimento do trabalho do repórter fotográfico na Capital Federal. Além de comandar a Agência BG que distribui imagens para diversos veículos de comunicação do Brasil e Exterior.

Deixe Seu Comentário

*Preenchimento obrigatório.