Jeff Widener: fotografou o homem confrontando tanques na China

Especiais

Erivam Oliveira

Conheça no foto-áudio reportagem realizado pelas estudantes Júlia Salituto e Mariana Netto – estudantes do 2º semestre do Curso de Jornalismo da ESPM-SP, o trabalho de Jeff Widener, que fotografou um homem confrontando tanques de guerra no Protesto da Praça da Paz Celestial na China, orientado pelo Prof. Erivam de Oliveira.

Jeff Widener é um americano fotojornalista conhecido mundialmente pela sua foto de um homem confrontando tanques de guerra durante o famoso Protesto na Praça da Paz Celestial em 1989. Sua fotografia circulou por todo mundo (menos na China, aonde a foto foi banida) e atualmente Widener é um dos fotógrafos mais reconhecidos da história.
Quando tinha sete anos, Jeff se tornou amigavel com as cameras dois que um fotorgrafo da Life Magazine fez alguns takes para sua familia entre 1962 e 1964. A fotografia logo em seguida se tornou uma obsessão e quando tinha 15 anos Widener trabalhou em algumas redes de fast food para conseguir compar sua primeira camera da Nikon.
Quando estava em seu ultimo ano do ensino médio, o fotografo foi para o Reseda High School em San Fernando Valley, LA, aonde o legendario instrutor de fotografia Warren King supervisionava o programa de jovens fotografos. No mesmo ano, Jeff ganhou uma bolsa no 1974 Kodak/Scholastic National Photography Scholarship, derrotando mais de 8000 estudantes de todo o país. O premio incluia uma viagem para um safari africano para a Kenya e a Tarzania, sendo esse o momento em que decidiu que seria um fotojornalista.
Seu primeiro trabalho em um jornal foi no Whittier Daily News na California e depois trabalhou no Las Vegas Sun, Evansville Press e no Miami News. Quando tinha 24 anos, Jeff aceitou o convite de ser correspondente fotografo internacional com a United Press International em Bruxelas, Belgica.
Ao longo dos anos, Widener cobriu grandes historias em mais de 100 países, desde a Guerra do Golfo até as províncias do norte de Sri Lanka. Além disso, ele cobriu a guerra de Khamer Rouge no Cambodia, a visita do Papa João Paulo II a Nova Guineia e os jogos olímpicos de 1988 e 1996. Em 1995, Widener foi o primeiro fotojornalista a importar fotos digitais do Polo Sul.
Durante sua carreira, Widener recebeu inúmeros prêmios e citações, incluindo o prêmio DART da Universidade de Columbia. Além disso, ele foi reconhecido pelo The Overseas Press Club, New York Press Club, Universidade de Comlubia e Missouri, The National Headliner Award, Harry Chapin Award, Atlanta Photojounalism, Best of Photojournalism, The Scoop Award na França e foi o primeiro estrangeiro a recer o Chia Award na Italia.
Atualmente ele mora em Hamburg, na Alemanha e continua como fotojornalista.

Deixe Seu Comentário

*Preenchimento obrigatório.