Joshua Benoliel – importante fotojornalista português

Especiais

Erivam Oliveira

Conheça no foto-áudio reportagem realizado pelas estudantes Ana Elisa Macedo Mingussi e Thais Mary Samano – estudantes do 2º semestre do Curso de Jornalismo da ESPM-SP, o trabalho de Joshua Benoliel, importante fotojornalista português, orientado pelo Prof. Erivam de Oliveira.

Joshua Benoliel nasceu em 1873 em Lisboa. Jornalista e fotografo portugues, descendente de uma familia hebraica estabelecida em Cabo Verde. Foi praticamente o criador em Portugal da reportagem fotografica e é considerado o pai do fotojornalismo português.
Em 1899 ele teve sua primeira foto publicada na revista “ Tiro Civil”, com qual colaborou ainda como amador.

Nas primeiras duas décadas do século XX, seu trabalho começou a ser notado. Fez a cobertura jornalistica dos grandes acontecimentos da sua epoca, acompanhando os reis D. Carlos e D. Manuel nas suas viagens ao estrangeiro, assim como exercito portugues que combateu na Flandres durante a Primeira Guerra Mundial.
As sua fotografias caracterizam-se pelo intimismo e humanismo com que abordava os temas

Benoliel trabalhou para o jornal O Século e para a revista do mesmo jornal, a Ilustracao portugueza bem como para a revista O Occidente (1878 – 1915) e Panorama (1837 – 1868).
Com o jornal “ O seculo” trabalhou de 1906 a 1918 e de 1924 ate a sua morte foi o periodo que atingiu verdadeiramente a sua notoriedade. Em tudo o que era eventualidade, lá estava Benoliel, procurando sempre mostrar o acontecimento tal como aconteceu.
Preparava sempre com muita cautela todas as suas reportagens e isso contribuiu para sua informacao, fazendo com que dessa forma nenhuma porta se fechasse para ele. Ele sabia minunciosamente tudo o que ia acontecer, como e quando.
Era uma pessoa que sabia comunicar com o povo e perante alguma dificuldade sabia gritar que era pro jornal O seculo.

Nascido em Lisboa, em 1873, Joshua Benoliel captou alguns dos momentos mais marcantes da historia do inicio do seculo XX desde o assassinato do rei Carlos, em 1908, à participação portuguesa na Guerra de 1914-18, passando pela implantação da republica, em 1910, e pela “revolução” de Sidónio Pais, em 1917.
Membro ativo da comunidade judaica de Lisboa e frequentador assíduo da sinagoga Shaaré Tikvá (Portas da esperança), Joshua Benoliel deixou transparecer na sua obra um fascínio por Lisboa.
No dia 3 de fevereiro de 1932, Joshua morre devido a uma doença renal com 59 anos. Hoje, no corredor de seu apartamento, na rua Ivens, em Lisboa, estão empilhados mais de 50 mil negativos.

Deixe Seu Comentário

*Preenchimento obrigatório.