Cartas na Mesa: Humberto Pereira

Geral

Paulo Ranieri

Texto: Umberto Mannarino e Luiz Felipe Mihich (1º semestre de Jornalismo)

Fotos: Alana Ferrer (3º semestre de Jornalismo) e Nathalia Miranda (1º semestre de Jornalismo)

O jornalista Humberto Pereira, durante gravação do programa Cartas na Mesa

 

O jornalista Humberto Geraldo Pereira nasceu em Belo Horizonte, no ano de 1939. Humberto é conhecido por ser o principal criador do Globo Rural, programa que é exibido até hoje aos domingos, no período da manhã, pela Rede Globo. Quando concluiu o ensino superior, Humberto já trabalhava como redator publicitário. Durante 11 anos viveu na vanguarda da Igreja Católica na qual desempenhava seu trabalho focando nas mais variadas áreas, tanto econômicas quanto políticas e sociais. Nesse período, fez um curso de cinema que durou dois anos, passando a trabalhar com o jornalismo e o cinema simultaneamente.

Em 1968, Humberto atuou na cobertura da guerra do Vietnã, pela revista Realidade. Na ocasião, foi um dos autores da edição que trazia José Hamilton Ribeiro ensanguentado na capa, após ter perdido a perna esquerda ao pisar em uma mina terrestre. Humberto também participou da cobertura das diretas-já, logo após o fim do regime militar, sendo publicamente contra a censura existente no período. Ajudou a criar as chamadas “reportagens pedagógicas”, que visam ajudar os cidadãos a desenvolver uma opinião própria em relação à política nacional.

Humberto foi editor no Jornal Nacional, Jornal da Globo e Jornal Hoje, além de ter trabalhado no Fantástico. Em janeiro de 1980 levou ao ar pela primeira vez o Globo Rural, programa do qual participou diretamente da criação e acabou deixando no fim de 2017, após quase 38 anos e um período repleto de inovações para o jornalismo no mundo rural, principalmente no agronegócio. Em entrevista a jornalistas da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), em agosto de 2015, Humberto contou um pouco sobre a origem do Globo Rural. “No segundo semestre de 1979, esse projeto apareceu na Globo, não pelo  jornalismo, mas pelo departamento comercial. Eles haviam feito uma pesquisa no país todo e chegaram a alguns dados, por exemplo, de que havia 4 milhões de aparelhos de televisão espalhados na zona rural, e não havia nenhum programa na Globo voltado para esse público”.

Os Fradins: Baixinho e Cumprido, obra do cartunista Henfil foi inspirada em Humberto, segundo o próprio. O primeiro combatia a hipocrisia do mundo por meio da ironia, já o segundo era politicamente correto e religioso. Eles nasceram em 1964, mesmo ano que a ditadura, tão combatida por Henfil, e também por Humberto.

Em 2013, Humberto Pereira fez palestra no Desafio 2050, comunidade defensora do meio ambiente. Na ocasião falou bastante sobre o desenvolvimento decorrente da agricultura brasileira. “As nossas crises relacionadas a agricultura, são crises de fartura. Nós produzimos tanto que podemos exportar, e acabamos tendo um problema seríssimo de infraestrutura, que não acompanha toda essa evolução”, disse.

No ano passado, Humberto teve fundamental importância no planejamento de séries de reportagens para outros programas, como “A viagem pelo Rio Nilo”, no Fantástico.

No último dia 28 de fevereiro, Humberto participou de um debate com seu ex- companheiro de revista Realidade José Hamilton Ribeiro. Na ocasião, eles discutiram sobre a influência do jornalismo na democracia. O debate abriu a série de programas Cartas na mesa, um projeto desenvolvido em parceria entre o curso de Jornalismo da ESPM-SP e o Observatório da Imprensa.

Deixe Seu Comentário

*Preenchimento obrigatório.