Professor da ESPM-SP discorre sobre manipulação e monitoramento na Internet no ESPM Soul

Geral

Portal de Jornalismo

Juan Cuela (1º semestre)

Na tarde de quarta-feira (13), foi ministrada a palestra “Sorria, você está sendo monitorado!”, por Claudio Luís, professor da ESPM e especialista em Big Data. A palestra fez parte da programação do ESPM Soul, e contou com várias dinâmicas com os alunos para conscientizá-los do monitoramento exercido sobre eles na Internet, através dos computadores e principalmente dos celulares. O professor auxiliou os alunos a acessarem, em seus celulares, o histórico de locais visitados, que o aplicativo Google Maps armazena. É possível saber onde estava o dono do telefone há dois anos atrás nesse mesmo horário, por exemplo.

Claudio afirmou que metade do dinheiro da publicidade do mundo vai para o Google. Atualmente, a publicidade recebe e utiliza um grande volume de dados do público para entender as reações a determinadas propagandas e para saber como produzi-las de modo que sejam obtidos resultados relevantes. A esse grande volume de dados se dá o nome de Big Data.

O Big Data é representado pelos chamados “4 Vs”: volume, variedade, velocidade e veracidade. A cada dois anos dobra-se o número de dados na face da terra; a cada dia, são 2,5 quintilhões de bytes gerados pela humanidade. E isso já causou inúmeras polêmicas, como a coleta de informações pessoalmente identificáveis de mais de 80 milhões de usuários do Facebook pela Cambridge Analytica, a partir de 2014. Os dados foram utilizados para influenciar a opinião de eleitores em vários países.

A partir das interações dos usuários, o Facebook pode concluir se eles são ansiosos, se têm armas em casa e se moram em estados-pêndulo, ou seja, estados em que não há preferência histórica por um partido político específico. Claudio ratificou que o Facebook pode conhecer alguém melhor do que essa pessoa conhece a si mesma.

Mas, ao contrário do que parece, o Big Data também pode agir pelo bem. Pode ser útil, por exemplo, na busca pelo tratamento adequado de pessoas com câncer.

Claudio exibiu um vídeo demonstrativo do Google Duplex, assistente de inteligência artificial do Google, que agora pode fazer ligações e agendar compromissos, como cortes de cabelo e reservas em restaurantes, com uma voz completamente natural.

Os alunos foram instruídos por Claudio a acessarem suas preferências de anúncios geradas pelo Google e pelo Facebook. Com base nas curtidas e compartilhamentos do usuário, as redes podem concluir seus gostos, preferências políticas e outros aspectos pessoais, e assim são exibidos anúncios que condizem com o que o usuário gosta.

Uma forma bem popularizada de manipulação apontada pelo professor é o Remarketing. Esta é uma ferramenta do Google Ads, plataforma de anúncios do Google, que marca e identifica os usuários que já visitaram um site específico de compras, e passa a exibir a esses usuários os anúncios desse site com mais frequência, induzindo-os a comprar o que eles estavam buscando.

O objetivo do remarketing é atrair o consumidor a realizar as compras que deseja, com base nas páginas da Web que acessou. A precisão desse recurso, segundo Claudio, se deve ao fato de o ser humano ser muito previsível.

Deixe Seu Comentário

*Preenchimento obrigatório.