Relembre furacões, tsunamis e outros desastres naturais do século XXI

Geral

Giovanna Dagios

"Imagem de satélite do Furacão Irma sobre a ilha de Cuba. (Foto: NOAA)"

Desastres naturais espetaculares tem aumentado em quantidade e em intensidade neste século? Embora pesquisas e especialistas divirjam sobre o assunto, o fato é que tais fenômenos aparecem com frequência no noticiário, seja pela capacidade de a mídia cobri-los, seja pelo rastro de morte e destruição que geram.

Os Estados Unidos, por exemplo, sofreram gravemente as consequências de dois furacões, o Harvey, que atingiu o Texas, e o Irma, que chegou à Florida, devastando cidades e deixando um saldo de 44 e 42 mortos, respectivamente, segundo os sites oficiais dos respectivos governos.

Quando somados, os prejuízos desses dois eventos equivalem ao total de 200 milhões de dólares, de acordo com a consultoria do Moody’s Analytics, a mesma cifra que o furacão Katrina custou ao sul dos EUA, quando passou por lá em 2005. Já no México, os terremotos de 2017 mataram mais de 300 pessoas e geraram prejuízos materiais incalculáveis.

1) Tsunami na Indonésia

Em dezembro de 2004, um dia depois do Natal, um tsunami de magnitude 9.1 (com escala até 10) se formou no Oceano Índico e chegou a atingir 13 países. Entre esses, a Indonésia foi claramente a mais prejudicada, com cerca de 37.000 mortos, de um total de 226.306 feridos, números calculados pelo Centro de Pesquisas Geológicas dos EUA (USGS).

 

2) Furacão Katrina

Na manhã do dia 29 de agosto de 2005, a tempestade tropical que havia se formado nas Bahamas chegou o litoral sul dos EUA, onde saltou da categoria um para a cinco, na escala Saffir-Simpson de furacões (em uma escala de um até cinco). A cidade mais atingida foi New Orleans, que abrigava a maioria das 1.800 vítimas do desastre, segundo autoridades locais, a até hoje ainda guarda resquícios do Katrina, com casas destruídas e abandonadas de quem saiu da cidade.

 

3) Terremoto no Paquistão

Em outubro de 2005, cidades do Paquistão e da Índia foram devastadas por um forte tremor que alcançou 7.6 na escala Richter (em uma escala até 8), sendo classificado como o mais forte dos últimos 100 anos a atingir a região. O terremoto tirou a vida de mais de 75.000 pessoas, segundo o governo Paquistanês, a maioria crianças, e deixou quase dois milhões de desabrigados nos países onde o tremor foi sentido.

 

4) Ciclone em Mianmar

Em 2008, o violento ciclone Nargis chegou até Mianmar, desencadeando uma onda enorme que vitimou sua população. O número de mortos da tragédia, de acordo com balanço do Exército, chegou a 80.000, além de cerca de 1 milhão de desaparecidos, segundo a Organização das Nações Unidas. Durante a passagem da onda, uma prisão local, onde diversos presos políticos estavam confinados, foi atingida. As autoridades se recusaram a mover os presos, causando uma rebelião que deixou mais de 30 mortos.

5) Terremoto no Chile

Em 2010, cidades inteiras na costa do Chile foram atingidas e destruídas por um terremoto de 8.8 graus, deixando mais de 800 mortos, 800.000 desabrigados e um prejuízo aproximado de 30 bilhões de dólares. Os tremores também desencadearam um tsunami, que provocou ondas que atingiram até 300 metros em terra firme.

 

6) Terremoto no Haiti

O Haiti é classificado como o país mais pobre de toda América, de uma população em que mais de 60% é subnutrida e vive em extrema miséria. Em janeiro de 2010, o país sofreu outra tragédia quando um terremoto de magnitude 7, na escala Richter, atingiu a capital Porto Príncipe, matando 200 mil pessoas e deixando 1 milhão de desabrigados. Segundo a USGS, até hoje são quase 3 milhões de vítimas.

 

7) Desabamento no Rio de Janeiro

Apesar de o Brasil não ser prejudicado por terremotos ou tsunamis, em janeiro de 2011, a região serrana do Rio de Janeiro sofreu um dos maiores desastres naturais da história do país. Na madrugada do dia 12, milhões de metros cúbicos de água e lama desceram pelas encostas da região a uma velocidade 150 km/h, resultando em mais de 900 mortos e 30 mil desabrigados, segundo levantamento da prefeitura de Nova Friburgo. As cidades mais atingidas pela tragédia foram Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis.

 

8) Tsunami no Japão

Um tremor de 8.9 de magnitude, classificado como o sétimo maior da história, segundo o Serviço Geológico dos EUA, atingiu o Japão em março de 2011 e deu origem a um tsunami, com ondas de até 10 metros de altura. A tragédia deixou um saldo de mais de 15.000 mortos, 17.000 desaparecidos e 18.000 casas destruídas, segunda a Agência Nacional de Polícia. No entanto, terremotos são fenômenos relativamente comuns no Japão, pelo país se encontrar em uma zona de convergência de placas tectônicas.

 

9)  Tufão nas Filipinas

Em novembro de 2013, o tufão Hayian atingiu a costa leste da Filipinas com uma velocidade que ultrapassou 300km/h. A tempestade foi enquadrada na categoria 5, a mais alta na escala Saffir-Simpson, e deixou a marca de aproximadamente 10.000 mortos, segundo a polícia regional. O ciclone também foi caracterizado por meteorologistas como o mais forte de 2013.

 

10) Terremoto na Itália

Um dos terremotos mais recentes e devastadores foi o que aconteceu no centro da Itália em agosto de 2016. O tremor de magnitude 6,2 na escala RIchter atingiu pequenos vilarejos no centro do país, deixando as operações de resgate mais difíceis. O número de mortos chegou a 299, segundo a BBC, e a devastação causada nas regiões atingidas ainda não foram superadas, já que um ano depois ainda existem 7.500 italianos ainda estão desabrigados, segundo o chefe da Defesa Civil local.

11) Furacão Harvey (17 de agosto a 3 de setembro de 2017)

Em uma semana de tempestades em Houston, nos EUA, o furacão Harvey matou 44 pessoas e obrigou que quase 1 milhão de estadunidenses deixasse suas casas, após recomendação das autoridades locais. Sua passagem pelo Texas, Mississipi, Tennesse e Louisiana, provocou US$ 160 bilhões em prejuízos aos EUA, o desastre natural mais caro do país.

12) Furacão Irma (30 de agosto de 2017 a 16 de setembro de 2017)

O Sudeste dos EUA foi devastado pelo que especialistas classificaram como um dos fenômenos naturais mais poderosos formados no Oceano Atlântico: o furacão Irma, que alcançou a categoria 4 das 5 possíveis na escala Saffir-Simpson. No país, 1.5 milhão de imóveis comerciais e residenciais sem energia, em meio ao forte calor de 2017 da Flórida. Graças à devastação provocada no Caribe, como nas Ilhas Virgens e em Porto Rico, o saldo final foi de 134 mortos.

13) Terremotos no México

O terremoto ocorrido no dia 19 de setembro na região de Axochiapan, no distrito de Morelos, alcançou também as regiões de Oaxaca, Puebla, Guerrero e a Cidade do México, capital que registrou 220 mortos. Seus 7.1 pontos na escala Richter mataram 361 pessoas, segundo a Coordenação Nacional de Proteção Civil da Secretaria de Governo. A catástrofe ocorreu a exatos 32 anos de outro terremoto, de 8.1 pontos, que vitimou 10 mil pessoas em 19 de setembro de 1985.

Deixe Seu Comentário

*Preenchimento obrigatório.