“Não consigo me perdoar”, diz vítima de vazamento de imagens pessoais

A atriz Marina Ruy Barbosa posta foto com ator Stenio Garcia em conta do Instagram. Fonte: arquivo pessoal

A atriz Marina Ruy Barbosa posta foto com ator Stenio Garcia em conta do Instagram. Fonte: arquivo pessoal

O vazamento de fotos íntimas do ator Stenio Garcia e de sua esposa, Marilene Saade, causou debate público na semana passada sobre auto exposição, privacidade e danos morais. Infelizmente, histórias iguais ao ator da TV Globo acontecem com muitas pessoas. A redação do Vila Mariana entrou em contato com uma jovem de 19 anos (que pediu anonimato), que passou por um drama semelhante: um vídeo vazado quando estava no ensino médio.

A exposição

A jovem considera que em 2012 se expunha bastante para pessoas diferentes e só ficou sabendo o que tinha acontecido quando suas amigas a contaram. “A princípio, eu até achei que tivesse vazado uma coisa completamente diferente”, conta ao lembrar do choque e de como não sabia lidar com a situação. As amigas a apoiaram e ajudaram muito, mas pediam para ver o conteúdo, o que a jovem negava. Decepciona-se ao lembrar de pessoas próximas que viram e fingiram não saber o que estava acontecendo.
O próprio agressor virtual era amigo da vítima, que confessa que na época era apaixonada pelo rapaz. Na época, ela foi atrás de respostas e ouviu apenas que ele não tinha enviado para ninguém. “Um dia, ele me disse que foi um ex-namorado meu que viu no celular dele e começou a espalhar”, mas ela não se convenceu e acha que até hoje a história não é clara. Quando descobriram, seus pais ficaram decepcionados com ela e com o moço. Bravos, queriam processá-lo, mas preferiram preservar a filha de uma exposição que ela não queria ter.

“Não consigo me perdoar”

“Eu não sabia se ficava mais brava comigo por ter sido tão ingênua ou com o cara que vazou (o vídeo)”, mas admite que até hoje a questão a incomoda e ainda tem dúvida de até que ponto a culpa é dela. Não só isso aflige sua mente, por mais que se irrite muito quando alguém culpa a vítima, confessa: “Quando eu penso na minha história, eu não consigo me perdoar”.
O seu jeito de encarar as coisas mudou muito depois de tudo. Saber que falavam dela, mas ter que fingir que estava tudo bem mesmo se sentindo irresponsável lhe exigiu uma força que a fez seguir em frente e superar a situação. Ela diz que hoje entende a importância de se manter uma relação de confiança e mutualidade para manter intimidade com alguém. “Eu sei que eu tive muita sorte por não ter sido tão afetada por isso”, diz, grata, mas tem consciência dos danos emocionais e psicológicos que a situação pode causar.

“Nada justifica”

Quando questionada sobre o caso de Stenio Garcia, a jovem considera que uma figura pública deve ter um cuidado maior, “porque todo mundo espera o seu deslize”. Mas diz que nada justifica a invasão de privacidade: “Não pode amenizar a situação como se não fosse nada, é sim grande coisa! É a violação de uma pessoa”, conclui. Segundo entrevista ao portal UOL de Frederico Meimberg Ceroy, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Digital, o vazamento de fotos não é crime se não houver quebra de senha.

Helena Bonamico (2o semestre)

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário